Canadá | Turismo Blue Mountain


Blue Mountain parece o lugar que Deus criou para que o homem descansasse após seu ano intenso de trabalho e dissesse: o Paraíso existe a apenas 150 km de Toronto. Vizinho ainda está a cidade de Collingwood, onde todos de Blue Mountain se abastecem. Dois lugarejos que a natureza reservou para a paz e a tranqüilidade. Uma região rica no plantio das maçãs, que por sinal são deliciosas em todos os cantos pertencentes a esse complexo.
Ficamos hospedados nesse universo hoteleiro bárbaro: The Westin Trillium House. Um hotel realmente construído para atender com todo conforto, e proporcionar os momentos de puro prazer e descanso merecidos. um lugar exemplar para curtir com a família ou com a pessoa amada (www.westinbluemountain.com).
Montanhas e pistas próprias para a prática de ski estão no entorno da vila. Outros esportes de inverno, e alguns para a garotada, estão sempre chamando a atenção de todos os que por ali transitam. Fui em dois ou três mais radicais que morri de medo, mas amei.
Próximo ao vilarejo conhecemos um Spa delicioso, chamado Scandinave Spa (www.scandinave.com), onde fiquei horas a fio curtindo massagens, banhos e saunas ao ar livre. Um conceito de relaxamento completamente diferente de tudo o que já vivi. Não queria mais ir embora. No final de um garimpo, o que eu mais queria era justamente curtir esse momento de total relax. E como foi especial!
Um passeio também muito especial é o Scenic Caves Nature adventures (www.sceniccaves.com ) em que é possível realizar trilhas, conhecer cavernas, caminhar sobre uma ponte suspensa sobre árvores e fazer uma radical tirolesa. O lugar é muito bem cuidado e famílias passam o dia curtindo estar por ali. Eu adorei poder ficar algumas horas realizando exercícios especiais e caminhando por entre arbustos e árvores nativas no meio de trilhas mais fechadas.
Rodar de carro pela região é bastante interessante, pois assim conseguimos visitar as fazendas que cultivam as maçãs, mercados com comidas e guloseimas locais rústicas (comprei dois vidros de mel deliciosos, arrependido de não ter comprado mais), casas de madeira com estilo campestre bem elegantes e com detalhes coloridos que embelezam e alegram o visual. Fomos até a vizinha cidade Collingwood e passeamos um pouco pelas ruas mais movimentadas. Tão linda quanto Blue Mountain.
Até um filme num cinema montado ao ar livre, assisti no final da noite no meio do centrinho local. Que delicia sentar na praça e, despreocupado, viver intensamente cada instante.
Um dia, vendo que meu garimpo chegava ao fim, subi o teleférico e fui em direção ao nada… Chegando lá no alto, fiquei olhando para um horizonte infinito e desconhecido,
e perguntei-me: Porque sou eu que estou aqui hoje, recebendo essa graça de poder viver toda essa fantasia? Não busquei respostas, simplesmente agradeci.