Canadá | Turismo Toronto


Toronto, a mais cosmopolita de todas as cidades canadenses. A porta de entrada do país.
Incrível como cruzamos com gente de todo canto do mundo pelas ruas dessa gigantesca cidade. Desde o super moderno aeroporto, Toronto já abre suas portas com classe e contemporaneidade. Mesmo sendo gigantesca e bem populosa, Toronto é bastante organizada, limpa e cultural. Uma cidade repleta de parques à beira do gigantesco lago Ontário, um lago sem fim, que mais parece um mar. Jovens no verão andam de patins de um lado pro outro pelas calçadas.
Fiquei hospedado no mais incrível e moderno hotel da cidade, chamado Delta (www.delta.toronto.com ), bem em frente a CNTower (www.cntower.ca ), em um apartamento no 25º andar, inteiro de vidro, e que colocava-me lado a lado com as luzes e a suntuosidade do grande obelisco. Um hotel de cair o queixo, em todos os sentidos, desde o impecável serviço prestado pelo staff, suas instalações modernas e design, até sua gastronomia deliciosa.
A cidade é multicultural, pois atrai milhares de imigrantes anualmente. É também a capital financeira do país, além de uma das mais seguras do continente americano. No ano de 2015, foi considerada pelo Economist a melhor cidade para se viver no mundo.
Na base da CNTower há um aquário (www.ripleyaquariums.com) com toda a diversidade de fauna e flora marítima e viramos verdadeiras crianças quando entramos. Não queria mais sair. Subir na CNTower é como voar, ultrapassar seus limites e permitir-se viajar muito além do possível. Imaginem que eu e meu companheiro de viagem, o fotógrafo Tony Liberato, fizemos uma loucura daquelas: ficamos pendurados por cabos de aço no ponto mais alto da torre vivendo uma adrenalina de palpitar o coração e todos os órgãos possíveis e impossíveis do corpo. Valeu uma vez, mas não repito mais não. Apesar disso, eu indico essa experiência de ficar feito um pêndulo para fora da torre, nessa ação denominada Edge Walk (www.edgewalkcntower.ca).
Ao lado da torre ainda temos o Rogers Centre (www.rogerscentre.com ) e não custa nada você ir até a bilheteria ver se não está passando algum concerto especial ou mesmo jogo de campeonato bacana e eletrizante. O estádio é um detalhe à parte. Demais!
Como sempre, em todos os meus garimpos, busco espaços culturais interessantes.  EM Toranto conheci dois, em especial, que acho que valem muito a pena de serem curtidos: o Museu do Sapato – Bata Shoe Museam (www.batashoemuseum.ca) e também um antiquérrimo palacete, denominado Casa Loma (www.casaloma.org) que possui um mega acervo do século passado, com histórias de muito antes da primeira guerra mundial. Seus salões e seus jardins são impecáveis e hoje o espaço ainda é utilizado para realizar eventos bem luxuosos dos hypes da sociedade local.
Mercados públicos estão instalados em diversos bairros e em todos a oferta de produtos especiais e, principalmente, orgânicos é latente. Quero voltar só para comprar mais geleias, doces, mel e syrups. O St Lawrence Market está numa região bastante antiga e interessante, e comer por lá é uma grande pedida. Malls sofisticados ao lado dos mais estonteantes arranha-céus fazem parte do roteiro Premium da cidade. Um canto com lojas e restaurante foi o que mais me encantou na cidade: Distillery District (www.thedistillerydistrict.com), para mim o melhor ponto turístico, repleto de galerias em galpões, bares descolados com arquitetura de babar, restaurantes sofisticados, esculturas espalhadas, além de fábrica de chocolate, cervejaria, antiquário, baladas… uma verdadeira loucura. Aluguei um segway e fiquei curtindo rodar todo o espaço por uma hora, primeiro para conhecer e depois, lentamente caminhar por onde mais me apaixonei. Considero esse como o lugar mais cool da cidade.
Existe um canto da cidade que circulam os mais abastados e um quadrilátero arrasa nesse quesito, chamado Yorkville. Lojas chiquérrimas com as mais altas grifes internacionais estão presentes, bem como marcas bacanas nacionais. Os artistas encontram-se nos restaurantes mais bem freqüentados. É uma delícia caminhar por ali, parar e tomar um drink, entrar numa loja e deixar o dia passar, assim como visitar teatros e cinemas deliciosos que recebem o que tem de mais bacana.
Seria preciso semanas, meses pra entender e conhecer melhor a cidade, pois ela é infinita. Lá é possível garimpar o tempo todo por anos, sem esgotar as novidades. Uma cidade pronta praquilo que virá, para um mundo inteiro, o tempo todo.