Adolfo Stulman | Dinamarca e os Nossos Garimpos


Considerada a cidade mais verde da Europa, Copenhague é vibrante e cheia de atrações onde a arquitetura moderna se mescla com construções antigas e históricas bem preservadas. A capital da Dinamarca também é reconhecida como a porta de entrada da Escandinávia, região do norte europeu que possui a mais alta qualidade de vida do planeta. Publicado no final do ano passado, o Índice de Desenvolvimento Humano da ONU classifica em primeiro lugar a Noruega e na quarta colocação a antiga pátria dos vikings.



E é justamente visitando Roskilde, a antiga capital viking, que conhecemos nosso primeiro garimpo: o Vikingeskibs Museet. O Museu de Navios Vikings é uma exposição-aula de como aqueles bravos marinheiros conseguiam navegar do Atlântico Norte até o Mediterrâneo; do Norte da Europa até o Ártico e a Sibéria; do fiorde de Roskilde até a Groenlândia e o Canadá em embarcações precárias extremamente versáteis e resistentes. E tudo isso se passou entre os anos 800 e 1100, bem antes do ciclo das grandes navegações e da descoberta da América!




Outra visita interessante é a Domkirke situada na mesma cidade que fica a apenas 30 quilômetros de Copenhague. Construída no século XIII, a catedral é um patrimônio cultural da humanidade que impressiona pelas suas grandes dimensões.
No município de Hillerod, a 35 quilômetros ao norte da capital, está o magnífico Castelo de Frederiksborg, um dos maiores da Europa. Alí estão preservadas obras de arte, mobiliário e roupas que contam a história do país e da sua realeza nos últimos quinhentos anos. Construído no começo do século XVII, em 1878 ele foi transformado no Museu de História Nacional devido ao seu riquíssimo acervo. Uma visita imperdível.

Para quem adora design e arquitetura, a Dinamarca é a maior referência mundial sobre esses temas. É comum observar em todos os lugares a preocupação dos dinamarqueses pela beleza estética da fachada das suas casas, dos parques públicos, da decoração dos ambientes e até do desenho das ruas e calçadas que obedecem a união da funcionalidade com o equilíbrio ambiental.
Foi nos anos 1950 e 60 que o mundo conheceu os nomes de Arno Jacobsen e Verner Panton que revolucionaram o mobiliário com suas cadeiras Swan e Egg, entre outras utilidades domésticas e de decoração.


Um exemplo da arquitetura típica dinamarquesa é o revolucionário edifício Bella Sky Comwell Hotel. Com 812 quartos, cinco restaurantes, várias salas de convenções e um enorme spa, o prédio é formado por duas torres que se interligam e são propositadamente tortas, sendo que alguns dos quartos tem as dimensões alteradas como paredes inclinadas e o teto que não é plano, além de portas irregulares. Tudo em nome da inovação e do belo.

São muitos os garimpos que podemos encontrar espalhados pelo país. Mas três deles situados na capital são impactantes e merecem nossa atenção: o parque Tivoli Gardens, o mais antigo parque temático do mundo que abriga, entre outras atrações, o espetacular restaurante Nimb; a cidade livre de Christiania, localizada no coração de Copenhague que é um retorno ao modo de vida dos hippies nos loucos anos de 1960 e, finalmente, um passeio de barco pelo canal de Nyhavn que corta toda a cidade e nos faz imaginar como seria bom se todas as cidades fossem iguais a ela.

http://www.visitdenmark.com.br/pt-br/dinamarca
http://www.dnm.dk/dk/index.htm
https://www.tivoli.dk/en/
http://www.visitcopenhagen.com/copenhagen/nyhavn-gdk474735